Com novos produtos de comunicação e prêmio de jornalismo, TJTO busca maior aproximação para melhorar ainda mais a prestação de serviços à comunidade

Fotos: Rondinelli Ribeiro\ComunicaçãoTJTO Desembargador Pedro Nelson no púlpito com pessoas sentadas em poltronas
Vice-presidente do TJTO destaca papel da comunicação durante lançamento do novo site e divulgação do Prêmio Esmat de Jornalismo

Novos produtos de comunicação multimídia e a realização de um prêmio de jornalismo são as mais recentes iniciativas do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins (TJTO) que visam aproximar ainda mais o Judiciário da comunidade, difundir informações e melhorar a prestação de serviços aos jurisdicionados. Entre as ações, estão o lançamento do novo portal do TJTO, mais moderno e acessível, o podcast Justiça ao “Pé do Ouvido” e um prêmio para reverenciar a cobertura jornalística do Judiciário tocantinense.

Os produtos foram lançados na tarde desta quarta-feira (25/1), no auditório Dr. Feliciano Machado Braga, na sede do TJTO, em Palmas (TO).  A cerimônia foi prestigiada por magistrados, servidores e profissionais da imprensa. “Esse portal é acessível e traz a transparência. O mundo precisa cada vez mais de transparência. Este portal, moderno e funcional, é o rosto do tribunal para o mundo. Navegando, vamos encontrar o que o Judiciário traz de melhor”, declarou, em seu pronunciamento, o vice-presidente do TJTO, desembargador Pedro Nelson de Miranda Coutinho, que representou o presidente João Rigo Guimarães na cerimônia.

Em relação ao prêmio, o magistrado ressaltou a importância e fez uma analogia: “É o reconhecimento ao jornalismo e aos profissionais. O jornalista é um ‘magistrado da sociedade’. Como o magistrado, o jornalista não analisa pessoas e, sim, fatos”.

 

Prêmio de Jornalismo

 

Diretor-geral da Escola Superior da Magistratura Tocantinense (Esmat), desembargador Marco Villas Boas destacou o lançamento do Prêmio Esmat de Jornalismo 2023, que oferecerá R$ 55,5 mil em prêmios, com foco na divulgação de ações em defesa da construção da justiça social, da promoção dos direitos humanos e da melhoria da prestação de serviços do Judiciário.

Ele fez uma menção especial ao diretor do Cecom por dirigir a comunicação do tribunal. “Pela experiência e capacidade, foi uma honra tê-lo conosco. Tião Pinheiro escreveu as páginas contemporâneas da história do Tocantins”.  “É necessário cada vez mais no momento em que vivemos o diálogo do Judiciário com a sociedade. E o jornalismo é uma parte importante deste processo. Tem a sua influência. A sociedade precisa de uma imprensa sadia, ética e um Judiciário que funcione”, ressaltou. “Hoje temos uma visão melhor do Judiciário por parte da imprensa. E é necessário intensificar essa construção de dialogo ético para informar bem a sociedade”, reforçou. 

O magistrado lembrou que a gestão atual do TJTO lançou um curso de pós-graduação, pela Esmat, na área de comunicação e agora complementa a valorização do segmento com o Prêmio Esmat de Jornalismo. “Queremos que os produtos que serão inscritos venham contemplar as matérias favoráveis à sociedade. Que a verdade sobressaía. Que os dois lados sejam ouvidos e que ao final a sociedade seja bem informada, pois é necessário hoje a pacificação social e a estabilidade democrática.  É o que o Brasil precisa para caminhar em paz”, afirmou. 

 

Cidadania

 

Já o diretor do Centro de Comunicação Social (Cecom), jornalista Tião Pinheiro, falou sobre sua experiência que lhe possibilitou conhecer mais do Judiciário. “O Judiciário que eu conhecia de fora não é o mesmo que vi nesse tempo à frente do Cecom. É um Judiciário que não apenas julga, sua atividade fim, mas atua no campo da cidadania”, afirmou, ao relatar alguns trabalhos como o de promover regularização fundiária, projetos nas áreas de sustentabilidade e acessibilidade.

“Com os avanços tecnológicos feitos pelo Tribunal, todos esses trabalhos têm objetivo de melhorar a prestação de serviço ao jurisdicionado. E a comunicação, com suas ferramentas, tem a função de fazer com que aquilo que é feito no Judiciário tocantinense possa chegar e alcançar cada vez mais a comunidade”, complementou o jornalista.

 

Apresentação

 

Sócio da empresa Trídia Criação e Desenvolvimento de Software,  de Brasília (DF), que venceu a licitação para a criação do portal, Mateus Rocha fez a apresentação técnica. “Temos aqui uma interface moderna, intuitiva e ágil”, sintetizou. Entre as novas funcionalidades, elencou dez itens: design novo; dispositivos móveis; design moderno e unificado, com funcionalidades diferentes; navegabilidade facilitada; sistema de catálogo de serviços; recursos de acessibilidade; menu de acesso aos sites do Judiciário; novo mapa do site; e recursos de multimídia. 

 

Repercussão

 

"Os prêmios de jornalismo são importantes instrumentos que visam o fortalecimento da profissão. É uma maneira de mostrar o nosso trabalho de forma específica e também serve de incentivo para os colegas que estão começando na profissão", pontuou a editora-chefe do jornal 2ª edição da TV Anhanguera, Elisangela Farias.

A presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado do Tocantins (Sindikor), Alessandra Bacelar, parabenizou o Poder Judiciário tocantinense pela iniciativa de promover o Prêmio de Jornalismo.

“Essa é uma iniciativa importante para a classe jornalística tocantinense, estamos felizes pelo Poder Judiciário realizar d prêmio. É gratificante prestigiar os veículos de comunicação do nosso estado. É uma valorização da nossa categoria que muito nos honra”, comentou.

 

A cerimônia

 

Prestigiaram o lançamento, entre outras autoridades, a corregedora-geral da Justiça e presidente eleita do Tribunal de Justiça, desembargadora Etelvina Maria Sampaio Felipe; o juiz auxiliar da Presidência do TJTO Manuel de Faria Reis Neto;  o diretor geral do Tribunal de Justiça, Jonas Demóstene Ramos;  a chefe de gabinete da Presidência do TJTO, Kênia Cristina de Oliveira; o subprocurador-geral de Justiça, José Demóstenes de Abreu; a presidente Associação dos Magistrados Tocantinenses (Asmeto), Odete Almeida; a diretora administrativa da Associação dos Magistrados Brasileiros ( AMB), Julianne Freire Marques; e demais diretores e  servidores do Judiciário tocantinense.

 


Busca Processual Jurisprudência Diário da Justiça
Nós usamos cookies
Usamos cookies ou tecnologias similares para finalidades técnicas e, com seu consentimento, para outras finalidades, conforme especificado na política de cookies. Negá-los poderá tornar os recursos relacionados indisponíveis.