Na última sexta-feira (24/9), o Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) de Guaraí realizou, de forma virtual, a 8ª Oficina de Parentalidade e Divórcio. O evento contou com a participação de pais e mães de todas as comarcas/distritos da Regional, que inclui as cidades de Colméia, Pequizeiro, Goianorte, Itaporã, Itacajá, Centenário, Itapiratins, Recursolândia, Pedro Afonso e Santa Maria, e abordou temas relacionados processos judiciais em andamento, com conflitos de diversas ordens.

A oficina ocorreu por meio das instrutoras com formação pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Carla Reis, Bethania Tavares, Luzileila do Carmo e Flâmbia Milhomens. “Foi uma grande satisfação para nós este evento, pois, além de termos conseguido realizar mais uma oficina pelo sistema remoto, foi possível a integração de todas as comarcas e distritos que fazem parte da Regional Cejusc do Polo Guaraí", ressaltou a magistrada Gisele Veronezi, que coordena o Cejusc da cidade.

Repercussão

A participante Thagila Sousa, mãe de uma criança de seis anos, falou sobre a importância da oficina. “Foi um momento em que tive muitas dúvidas esclarecidas, foi uma roda de conversa com troca de experiências que me fez ver que não é só eu que passo por tal situação. Sinto-me segura em falar a partir de agora e vi que não estou sozinha, que posso ter uma equipe de apoio não só para o processo, mas também de amparo psicológico, basta procurar as vias corretas”, comentou.

Para Alex da Conceição, que é pai, o evento ajudou no esclarecimento de diversas dúvidas. “Achei muito bom. As situações relatadas realmente acontecem sempre nos casos de divórcio. Falar sobre isso e da maneira que foi exposta nos ajudará demais daqui para frente. Parabenizo nossas instrutoras Luzileila e Flâmbia”, destacou.

Derrubando mitos

O momento contou também com a participação da advogada Jessica Raquel da Silva Bezerra, residente no Estado do Paraná, que participou como ouvinte da oficina. “Chamou-me atenção o destaque às modalidades de guarda exposto pela instrutora Bethania, desmentindo os mitos mais comuns da guarda compartilhada, tais como o não pagamento de pensão e a divisão de dias. Participei especialmente para acompanhar clientes e tive feedback positivo delas também, que aproveitaram a oportunidade para trocar experiências com as outras mães. Aproveito para parabenizar a palestrante Carla pelo empenho e bom tratamento dispensado a todas e pela delicadeza que teve ao tocar no tema sensível da repetição de padrões, que sabemos, é muito difícil de ser tratado”, lembrou.

De acordo com a equipe do Cejusc de Guaraí, as oficinas continuarão a ocorrer mensalmente, sempre na última sexta-feira de cada mês.

Comunicação TJTO