A manutenção do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO) na Categoria Ouro do Prêmio CNJ de Qualidade 2022, anunciada na última terça-feira (22/11), repercutiu entre desembargadores, juízes e servidores da Corte tocantinense, que, pelo segundo ano consecutivo, foi reconhecida pelas boas práticas que vêm adotando dentro dos eixos temáticos - governança, produtividade, transparência de dados e tecnologia.

Com o avanço de uma posição em relação ao ano passado e um crescimento do percentual que foi para 70,32%, o TJTO ficou em quarto lugar dentro da Categoria Ouro para os tribunais da justiça estaduais, o que, na visão da corregedora-geral da Justiça do Tocantins, desembargadora Etelvina Maria Sampaio Felipe, mostra o resultado do trabalho conjunto do diversos setores do Poder Judiciário Tocantinense.

“A manutenção do Selo Ouro é resultado da união de forças de todos os integrantes da Justiça do Tocantins. É a demonstração do comprometimento da Presidência, Corregedoria, toda a Corte do TJTO, de cada juiz e juíza, servidor e servidora do Poder Judiciário. Garantir a qualidade dos serviços prestados aos tocantinenses deve ser sempre meta principal para todos nós que fazemos hoje o Judiciário”, destacou a desembargadora.

Cidadania garantida

“O selo Ouro é o reconhecimento do trabalho de magistrados e servidores que garante a cidadania àqueles que buscam o Poder Judiciário como último recurso de seus problemas e recebem um melhor tratamento que podemos dar neste momento, com os recursos que dispomos”, ressaltou o vice-presidente do TJTO, desembargador Pedro Nelson Coutinho, lembrando ainda que “buscar melhorar ainda mais é uma atividade necessária para todos a quem dirigimos nossas atividades”.


Poder Judiciário forte

“O Prêmio CNJ de Qualidade reflete a dedicação e o comprometimento de todos os magistrados e servidores no exercício de suas funções e nos estimula no incremento da eficiência da prestação jurisprudicional e da gestão de um Poder Judiciário forte e atuante em prol da garantia dos direitos dos nossos tocantinenses”, frisou a desembargadora Ângela Prudente.
“O Selo Ouro demonstra que estamos a trilhar o caminho certo, o que é motivo de orgulho e reconhecimento de todos que direta ou indiretamente, contribuíram para mais esta conquista”, arrematou a magistrada.

Dedicação

Para o diretor-geral da Escola Superior da Magistratura Tocantinense (Esmat), desembargador Marco Villas Boas, a conquista do TJTO mostra a dedicação que a gestão do presidente João Rigo Guimarães tem apresentado para manter o padrão de excelência nos trabalhos mesmo em tempos de crise.

“Parabéns, Presidente. Extensivo a toda a equipe, magistrados e servidores do Poder Judiciário do Tocantins. Manter o padrão em época de crise exige muita dedicação e comprometimento. Vencemos mais essa”, pontuou o desembargador.

Plano de continuidade

“A conquista do Selo Ouro no Prêmio CNJ de Qualidade 2022 revela o comprometimento de magistrados e servidores com o sistema de justiça, com o jurisdicionado, com o cidadão tocantinense. Cada gestão segue o planejamento estratégico em andamento e ajuda a construir o subsequente, de forma que o plano de continuidade tem se mostrado extremamente positivo,na medida em que tudo fica vinculado a um planejamento de governança previamente estabelecido para os Tribunais”, ressaltou o desembargador Helvécio de Brito Maia Neto, parabenizando o desembargador João Rigo Guimarães, toda a sua equipe, servidores e magistrados do Poder Judiciário “por mais essa conquista, que é de todos nós”.

Prestação jurisdicional eficiente

Juiz auxiliar da Presidência do TJTO, Manuel de Faria Reis Neto também ressaltou o empenho de toda a equipe para a manutenção do Ouro e comentou que o resultado efetiva a busca da Corte tocantinense para aumentar eficiência da boa administração.

“A notícia foi recebida com grande alegria e a conquista demonstra que o prêmio enfatiza uma gestão feita por todos os desembargadores, magistrados, diretores, servidores e terceirizados, com muito trabalho, união e dedicação. Agradeço o empenho de todos na busca do aumento da eficiência da prestação jurisdicional e boa administração da justiça”, comentou o magistrado.

Rumo ao diamante

Com o TJTO avançando no percentual e pelo segundo ano consecutivo presente na Categoria Ouro do Prêmio do CNJ, a juíza auxiliar da Corregedoria-Geral da Justiça, Rosa Maria Rodrigues Gazire Rossi, acredita que o tribunal segue no caminho da qualidade e transparência para que a prestação jurisdicional seja de excelência e humanizada, o que serve de estímulo rumo à conquista da categoria de Diamante.
“O selo ouro é um reconhecimento do CNJ quanto à qualidade e transparência de gestão, planejamento, produtividade administrativa e judiciária do TJTO, conquistado por todos e todas integrantes do Judiciário que entregam, diariamente, o seu melhor em prol da sociedade. Significa um estímulo para avançarmos em 2023 rumo ao sonhado Diamante”, ressaltou a juíza.

Cumprindo as exigências

Para o coordenador de Gestão Estratégica, Estatística (Coges-TJTO), Ornato Benigno Brito, o prêmio tem passado a ser mais exigente a cada edição, mas o TJTO manteve o padrão e segue na busca por melhorar cada vez mais.

“A cada ano o Prêmio exige mais dos tribunais e por sua vez dos magistrados e servidores. Não foi fácil manter a categoria ouro, considerando a diversidade de requisitos exigidos, entretanto, com o apoio do Presidente João Rigo Guimarães, nos debruçamos na busca do cumprimento desses requisitos, e assim conseguimos manter esse Ouro que tem brilho de Diamante”, comemorou.

Texto: Samir Leão
Comunicação TJTO