Conhecer a realidade da população idosa no Estado do Tocantins, este é o objetivo da pesquisa aprovada pela Corregedoria-Geral da Justiça e que será desenvolvida até 2023 pelo Grupo de Gerenciamento de Equipes Multidisciplinares (GGEM) e aplicada nas Comarcas do Poder Judiciário.   A obtenção e análise de dados sociodemográficos dos tocantinenses com mais de 60 anos irá subsidiar a realização da campanha de enfrentamento a violência contra a pessoa idosa, intitulada de “Cuidando dos que cuidaram primeiro”.

Segundo a série Fatos e Números de 2020, que é responsável por apresentar sínteses de dados estatísticos, a partir de bases do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Brasil, a população idosa é o grupo que mais cresce no país, representando aproximadamente 14,26% da população brasileira. A expectativa do Ministério da Saúde, é que em 2050, o Brasil chegue a 2 bilhões de idosos, passando a ser a quinta maior população do mundo (BRASIL, s/d).

A corregedora-geral da Justiça, desembargadora Etelvina Maria Sampaio Felipe, destaca que esta é uma pesquisa inédita no Tocantins e que contribuirá com o combate à violência, que tanto afeta este público. “Com a pesquisa poderemos oferecer à população idosa serviços e políticas públicas que auxiliem no envelhecimento com protagonismo, na qualidade de vida e na autonomia de nossos idosos. É muito importante desenvolvermos estratégias com metodologias eficientes, acessíveis e concretas para reduzir os casos de violência, em seus diferentes níveis.”

A coordenadora do GGEM, Márcia Mesquita, explica que a pesquisa será realizada pelos profissionais credenciados no Tribunal de Justiça e que atuam de forma multidisciplinar nas 37 comarcas do estado.  “A partir deste mês de outubro faremos a seleção das equipes, os pesquisadores precisarão ter formação em Pedagogia, Psicologia ou Serviço Social, todos receberão orientação para a aplicação dos questionários. A nossa previsão é concluir a pesquisa em junho de 2023, mês de combate à violência contra idosos.”, explica.

Objetivos

De forma geral, a pesquisa buscará compreender a realidade demográfica, social, econômica, judicial e epidemiológica da população idosa no estado, por Comarca do Tribunal de Justiça do Tocantins. Já entre os objetivos específicos estão:

- Mapear o funcionamento das redes de políticas, programas e serviços de apoio e proteção à pessoa idosa no estado, distribuídas nas 37 Comarcas do Tribunal de Justiça do Tocantins;

- Levantar o quantitativo populacional dos/as idosos/as no Tocantins e da população assistida em cada Comarca do Tribunal de Justiça do Tocantins, no período de 2018 a 2022;

- Identificar a população idosa assistida nas Instituições de Longa Permanência (ILPIs) no estado, por Comarca no Tribunal de Justiça do Tocantins, no período de 2018 a 2022;

- Analisar os casos de violência contra a pessoa idosa na Polícia Civil, Disque 100, Ministério Público e nos processos judiciais nas Comarcas do Tribunal de Justiça do Tocantins, no período de 2018 a 2022;

- Compreender a realidade sócio epidemiológica da população idosa do estado do Tocantins a partir dos registros nos equipamentos públicos do Sistema Único de Assistência Social , Sistema Único de Saúde, Sistema Previdenciário, Universidade da Maturidade, da Universidade Federal do Tocantins - UMA/UFT e Conselhos Municipais e Estaduais, no período de 2018 a 2022.

Texto: Kézia Reis 

ASCOM CGJUS-TO

Comunicação TJTO