O Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por meio do Comitê de Prevenção e Enfrentamento do Assédio e da Discriminação do Poder Judiciário, iniciou, no último dia 22 de novembro, uma pesquisa, em ambito nacional, com o objetivo de diagnosticar casos de assédio e/ou discriminação eventualmente praticados contra magistrados, servidores, colaboradores e estagiários.

A pesquisa, que será feita até o próximo dia 3 de dezembro, é uma entre as ações do CNJ que busca dar cumprimento à Resolução 351/2020. Ainda de acordo com o CNJ, respostas obtidas com a pesquisa serão fundamentais para o direcionamento das próximas ações do Comitê para a promoção do trabalho digno, saudável, seguro e sustentável no âmbito do Poder Judiciário. O CNJ afirma também que haverá preservação do anonimato dos respondentes.

Podem participar todo o quadro de pessoal, incluindo magistrados, servidores, estagiários e colaboradores terceirizados. A participação na pesquisa será feito por meio do endereço https://formularios.cnj.jus.br/pesquisa-nacional-sobre-assedio-e-discriminacao-no-ambito-do-poder-judiciario/, com a inserção da senha 5H7S6TWG.

Mais informações podem ser obtidas aqui.

Texto: Rosimeire Alves Sousa

Comunicação TJTO