A Rede TO Sustentável, que é coordenada pelo Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO), encerrou nesta quarta-feira (22/11), as atividades da oficina de Compostagem de Resíduos Sólidos Urbanos, que teve como instrutor o engenheiro agrônomo Germano Guttler, professor doutor da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc).

O evento, que começou na última segunda-feira (20/11), teve organização do Centro de Apoio Operacional de Habitação, Urbanismo e Meio Ambiente (Caoma), em conjunto com o Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional/Escola Superior do Ministério Público (Cesaf-ESMP), órgãos auxiliares do Ministério Público do Tocantins (MPTO), que é um dos integrantes da Rede TO Sustentável.

“A Oficina de Compostagem foi realizada para capacitar os servidores membros da Rede TO Sustentável com a finalidade de multiplicar o conhecimento sobre gestão de resíduos orgânicos. Nos dias de hoje, a prática da compostagem é ótima solução para reduzir o volume de resíduos que são encaminhados para os aterros sanitários construindo assim para o aumento da vida útil.”, ressaltou a desembargadora Ângela Prudente, que preside a Comissão Gestora do Plano de Logística Sustentável do Tribunal de Justiça do Tocantins (PLS-PJTO).

A desembargadora lembrou ainda que o TJTO dispõe de coletores/lixeiras para receber material orgânico (lixeira Marrom) e a intenção é fazer a compostagem no âmbito do TJTO e, com essa ação, promover a gestão ambientalmente adequada do lixo orgânico.

Oficina

No primeiro dia da oficina, em palestra realizada no auditório do MPTO, o professor falou sobre o Programa Lixo Orgânico Zero, que utiliza o método desenvolvido na Udesc, em Lages (SC), desde 2012 e que já é reconhecido nacionalmente como redutor de resíduos em áreas urbanas. Ele também comentou que para cada real que se gasta com lixo no Brasil, se perdem quatro reais em oportunidades envolvendo reciclagem, compostagem, produção de alimentos e geração de emprego. “Os municípios brasileiros destinam, atualmente, R$ 25 bilhões para coletar o lixo e colocar em aterros sanitários”, explicou.
No segundo dia, as atividades passaram para parte prática e os espaços utilizados para as oficinas foram o Ecoponto de Galhadas, localizado no Condomínio Empresarial Logístico e Industrial de Palmas, e a Escola Rural de Tempo Integral Fidêncio Bogo, localizada na região de Taquaruçu Grande. Nesta quarta-feira (24/11), último dia do evento, a Oficina de Compostagem de Resíduos Sólidos Urbano foi realizada na Escola de Tempo Integral Almirante Tamandaré, localizada na Arse 132.

A Prefeitura de Palmas, signatária da Rede TO Sustentável, explicou a razão da escolha dos locais para recebimento das atividades da oficina. No Ecoponto de Galhadas, mantido pela Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seisp), o município recebe resíduos de podas de árvores para trituração e uso como composto orgânico, para adubar canteiros e hortas em praças, jardins, avenidas e escolas do Município. Já a ETI Rural Fidêncio Bogo é um dos locais que recebem este composto orgânico, além de também já realizar a compostagem de seus próprios resíduos. A expectativa é que o método desenvolvido cidade catarinense seja mais uma alternativa de compostagem orgânica.

Saldo Positivo e Parabéns

De acordo com o professor Germano Guttler, que durante o evento fez apresentações para adultos e crianças, a Rede TO Sustentável faz um trabalho pioneiro no País, sendo composta por vários órgãos dos poderes na busca por ações que visam a preservação do meio ambiente, e que em breve esse exemplo será seguido em outros estados.

“Os três dias de evento foram extremamente positivos. As expectativas foram superadas. Eu não podia imaginar que ia ser tão satisfatório. Desde que cheguei, venho dizendo de forma repetida nesses três dias que vocês estão com essa organização, da Rede TO Sustentável, que realmente vai fazer história. Olha eu tenho viajado bastante e conhecido remotamente muitas regiões do Brasil, fazendo muitas reuniões, mas não me lembro de um lugar das pessoas estarem tão organizadas como vocês estão aqui com essas instituições e com a importante participação do judiciário à frente disso.”, disse o professor.

Crianças

Guttler também ressaltou a importância da participação das crianças no fortalecimento do projeto. “Daqui a um ou dois anos nós vamos ter muita coisa para contar, muito resultado e isso aqui vai render muito as escolas. Estamos trabalhando com pessoas que vão fazer o projeto antes em algumas escolas modelo aqui da cidade e a hora que isso começar a sair, que as crianças começarem a levar em casa, vocês vão começar a ver a diferença na na coleta de lixo. Vai ser uma diferença consistente e na produção de alimentos também, que é a consequência do projeto. Acho que pode ser um modelo futuro para o País inteiro o que está sendo feito hoje em Palmas.”, concluiu.

Rede TO Sustentável

A Rede TO Sustentável é composta pelo TJTO, Ministério Público do Tocantins (MPTO), Tribunal de Contas do Estado (TCE), Defensoria Pública Estadual (DPE), Universidade Federal do Tocantins (UFT), Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Governo do Estado do Tocantins, Prefeitura de Palmas, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Agência Tocantinense de Saneamento (ATS).

Texto: Samir Leão / Fotos: Elias Oliveira
Comunicação TJTO