Ao realizar a entrega oficial das obras de ampliação e reforma do prédio do fórum da Comarca de Wanderlândia, na região norte do Estado, o presidente do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO), desembargador João Rigo Guimarães, destacou alguns dos princípios que regem a atuação do Poder Judiciário: acessibilidade, sustentabilidade e economicidade. “Meu lema do programa de gestão no TJTO é “Justiça para Todos”. A meta é unir esforços para que a Justiça alcance todos os cidadãos que dela necessita. Que possamos oferecer prestação jurisdicional de qualidade, com acesso fácil e celeridade”, afirmou o magistrado na cerimônia realizada na tarde desta quarta-feira (13\10).

O investimento no local foi de R$ 622.519,29. As obras duraram exatos 210 dias. A comarca tem duas serventias judiciais, atende, além de Wanderlândia, Darcinópolis e Piraquê, que formam população estimada de 20.572 habitantes.

Em seu pronunciamento, o presidente do TJTO lembrou que, por aproximadamente sete anos, atuou na Comarca de Wanderlândia como juiz interino. “O espaço era pequeno. Hoje, uma obra grande, bonita e confortável. E com os princípios que regem o nosso trabalho no TJTO: acessibilidade, sustentabilidade e economicidade. E também responsabilidade com o dinheiro do contribuinte”, frisou. “Essa obra tem uma representatividade muito grande: conforto, ambiente saudável. Isso é fator de motivação para desempenhar um trabalho de qualidade.”

Corregedora-geral da Justiça, a desembargadora Etelvina Maria Sampaio Felipe, abordou em sua fala os benefícios da obra. “É uma estrutura física adequada, que traz comodidade, conforto e isso gera melhor prestação jurisdicional. Obra representa a importância que tem para o Judiciário o seu cliente final, que é o jurisdicionado, o cidadão de Wanderlândia”, ressaltou. “Temos uma estrutura moderna, mobiliário novo e equipamentos tecnológicos que trazem mais inspiração para o trabalho. A melhoria dos serviços judiciais gera trabalho mais efetivo e ágil. Isso proporciona qualidade de vida. E todas as ações do TJTO são voltadas para o cidadão”, concluiu.

Inauguração prestigiada

A cerimônia reuniu servidores, magistrados, profissionais do Direito e autoridades da região. Para o juiz José Carlos Ferreira Machado, diretor do Fórum da Comarca de Wanderlândia, as novas instalações “dão dignidade e segurança aos servidores e aos que vêm em busca de serviços da Justiça”. “É uma obra sustentável, que vai proporcionar economicidade ao Poder Judiciário. É dignidade ao servidor, ao jurisdicionado, com mais comodidade e segurança”, declarou. Ele fez questão de agradecer ao apoio e empenho do presidente do TJTO na conclusão da obra. E ressaltou também, durante sua fala na cerimônia, o papel dos servidores e funcionários que atuaram diretamente nos serviços. Foram reformadas 720,8 m2 de área. E a ampliação foi de 45,25 m2, totalizando 766,13 m2 de serviços realizados.

Repercussão

Prefeito de Wanderlândia, o também advogado Djalma Araújo Ferreira Júnior parabenizou o TJTO pelo novo prédio. “É de grande importância para a comarca. Esse prédio é a casa do advogado, do promotor e do juiz. E quando se tem uma casa organizada, bonita, a gente trabalha com mais amor. E o benefício é para o cidadão”, disse.

Para o diretor do núcleo da Defensoria Pública do Estado em Araguaína, Felipe Lopes Barbosa Cury, o TJTO “cumpre o papel de promover a Justiça ao jurisdicionado”. Já o promotor de Justiça Rui Gomes Pereira da Silva Neto manifestou o seu contentamento com o investimento. “Garantirá conforto, segurança e comodidade aos servidores e magistrados. É uma instalação moderna e adequada que consolida a execução da Justiça. Representa benefício não só para o exercício do Direito, mas para a sociedade de Wanderlândia.”

O advogado José Quezado, presidente da seccional da Ordem dos Advogados do Tocantins (OAB) em Araguaína, afirmou que a obra é “reconhecimento do TJTO ao cidadão, aos que necessitam da prestação jurisdicional”.

A conselheira fiscal da Associação dos Magistrados do Tocantins Asmeto Wanessa Lorena Martins De Sousa, que representou a presidente Odete Almeida, falou com emoção sobre o significado da obra. “Hoje é um dia especial. Um momento que marca a história de toda a sociedade de Wanderlândia.” Ela agradeceu à comunidade, servidores e jurisdicionados pela união em prol da solução de conflitos no Judiciário.

Prestigiaram ainda o evento, entre outros convidados, o prefeito de Piraquê,  Silvino Oliveira de Sousa, o prefeito de Darcinópolis, Jackson Soares, o presidente da Câmara Municipal de Wanderlândia, Adriano Lima de Souza, o diretor-geral do TJTO, Jonas Demóstene Ramos, profissionais do Direito e diretores e servidores do Judiciário. 

Homenagem

Ao final da cerimônia, João Rigo Guimarães entregou uma placa em homenagem ao juiz José Carlos Machado, com agradecimentos pela dedicação, empenho e compromisso, “esforços que contribuíram para a conclusão desta importante obra”. Foi homenageada também a servidora mais antiga em atividade na comarca, Pedrina Moura de Alencar, que representou os demais trabalhadores.

Condições de trabalho

Há 17 anos no Poder Judiciário do Tocantins, com trabalhos desenvolvidos em comarcas como Araguaína, Itaguatins e Araguatins, o oficial de Justiça Iron Ferreira destacou que a nova estrutura e investimentos em Wanderlândia. “Melhora demais. A estrutura ficou melhor e torna mais eficiente a atividade diária dos servidores aos jurisdicionados”, declarou. Ele atua há três anos e meio em Wanderlândia.

Já a auxiliar judiciária Júlia Silva Lopes, há apenas dois meses na comarca, disse considerar que os servidores e a sociedade ganham com a nova estrutura. “Ambiente é melhor, estrutura ampliada e novos computadores melhoram, de fato, as condições de trabalho. O resultado é uma eficiência maior do serviço prestado ao cidadão.”

Benfeitorias

Entre as benfeitorias realizadas, estão a substituição das telhas da cobertura; acessibilidade no prédio; pintura interna e externa; alambrado na parte frontal; estacionamento interno para servidores e drenagem; calçadas e impermeabilização; recuperação das trincas e fissuras; garagem privativa para magistrados; hall de entrada, rampa e fachada pórtico; paisagismo; adequação do sistema de incêndio; adequação da rede elétrica e ar condicionados; e emissão do termo de habite-se do edifício após conclusão da reforma.

Texto: Cristiano Machado

Fotos: Rondinelli Ribeiro/Comunicação TJTO