Na última sexta-feira (24/9), a desembargadora Ângela Prudente, que preside a Comissão Gestora do Plano de Logística Sustentável do Tribunal de Justiça do Tocantins (PLS-PJTO), esteve reunida com os membros do Núcleo de Gestão Socioambiental (Nuges), da Diretoria de Tecnologia e Informação (Dtinf) e com o diretor-geral do TJTO, Jonas Demóstene Ramos, para apresentação e ajustes finais dos painéis de Solução de Business Intelligence (BI), que terão a função de monitorar os indicadores do PLS em tempo real e cujo acesso será franqueado livremente na internet ao público interno e externo.

Transparência e fidedignidade

Conforme explicou a desembargadora, a tecnologia apresentada assegura publicidade e eficiência ao uso do sistema, dois importantes princípios constitucionais, uma vez que será possível fazer pesquisas com mais detalhes de gastos e consumo de todas as unidades do TJTO e das comarcas do interior, mediante a utilização de comparativos, filtros e análise de dados. A atualização dos dados ocorrerá todos os dias às 5 horas.

“A transparência e fidedignidade das informações contidas nos painéis de BI trarão como consequência a redução de impactos negativos ao meio ambiente, mais eficiência no uso dos recursos do Poder Judiciário e na adoção de estratégias que promovam acessibilidade, inclusão, equidade e diversidade”, ressaltou a desembargadora Ângela Prudente.

O uso da ferramenta vai ao encontro das diretrizes da Resolução 260/2018 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que determina a transparência no acompanhamento de programas, ações e projetos de natureza estratégica nos órgãos do Poder Judiciário, bem como auxiliará o TJTO no alcance de patamar mais elevado na aquisição do Prêmio CNJ de Qualidade.

Fácil de manusear

De acordo com o diretor de Tecnologia da Informação do TJTO, Ernandes Rodrigues da Silva, que é responsável junto com sua equipe pelo desenvolvimento dos painéis de BI, a ferramenta não apresenta dificuldades para manuseio e vem para facilitar e fortalecer as parcerias administrativas entre as diretorias.

“Os painéis têm objetivo de facilitar a extração dos dados, uma vez que a navegação é tranquila, pois a forma visual que os dados são expostos permite isso. Além de contribuir com uma melhor gestão dos dados junto ao Nuges, o intuito é fortalecer a parceria entre as unidades que gerenciam o Poder Judiciário do Tocantins”, pontuou.

Transparência dos dados

A servidora do Nuges, Leila Jardim, explica que os painéis irão puxar os dados do Sistema de Informação e Gestão Socioambiental (Siga), ferramenta que as diretorias do TJ já usam para lançar no sistema os gastos mensais com papel, copos descartáveis, água mineral, impressão, telefonia, energia elétrica, água e esgoto, gestão de resíduos, reformas, limpeza, vigilância, veículos, combustível, qualidade de vida e capacitação socioambiental.

O diretor-geral do TJTO, Jonas Demóstene, pontuou que a disponibilidade dos dados para o público, através dos painéis, mostra a preocupação da gestão do desembargador João Rigo com a transparência dos dados no âmbito do PLS e ressaltou que tecnologia e sustentabilidade podem andar juntas na geração de benefícios coletivos para toda a sociedade.

PLS

O PLS-PJTO é um instrumento de gestão estratégica administrativa que possui, como objetivo geral e precípuo, desenvolver governança socioambiental de modo integrado e sistêmico com fins de atuar em defesa e na preservação do meio ambiente, além de fomentar o uso racional de recursos econômicos e a responsabilidade social em todas as unidades do Poder Judiciário tocantinense.

O Nuges explica que nos painéis de BI serão inseridos novos temas, em conformidade com as diretrizes do CNJ, que recentemente publicou a Resolução nº 400/2021, na qual descreve, no Artigo 7º, Alínea "i", os indicadores mínimos de desempenho relacionados aos temas de Equidade e Diversidade; bem como a Resolução nº 401/2021, a qual trata da temática da acessibilidade e inclusão social, com fins de aferir a efetividade da  execução da política de responsabilidade social executada pelo Poder Judiciário tocantinense.

Os indicadores constituem ferramentas capazes de sintetizar informações sobre determinada realidade, traduzidas em métricas, que permitem medir, monitorar e avaliar, periodicamente, o desempenho dos consumos, gastos, a gestão de resíduos, as ações solidárias, capacitação e sensibilização, inclusão, acessibilidade, contratação sustentável e a qualidade de vida do copo funcional, de forma a identificar se os objetivos estão sendo atingidos e avaliar os efeitos dessas práticas sobre o meio ambiente.

Confira aqui o link novo PLS 2021 do PJTO

Texto: Samir Leão

Comunicação TJTO