“Sem os senhores na linha de frente, o projeto não se realizará”, frisou Ornato Benigno Brito, ao abrir a penúltima reunião de implementação do Justiça para Todos, âncora da atual gestão do Tribunal de Justiça do Tocantins e que tem como grande objetivo fazer a prestação jurisdicional chegar aos segmentos mais vulneráveis da sociedade tocantinense.

Ao enumerar os processos que precisam ser impulsionados, como os relativos aos deficientes, aos idosos e às minorias, Ornato Brito, que é  coordenador de Gestão Estratégica, Estatísticas e Projetos (Coges-TJTO), conclamou os servidores a se engajarem no projeto e anunciou também os canais pelos quais eles poderão dar sugestões e tirar dúvidas a respeito de questões gerais e específicas para acelerar os trâmites processuais.  

Ornato ainda lembrou que hoje tramitam no Judiciário 7.284 processos relacionados a minorias e vulneráveis, entre outros, sendo que 2.519 tramitam na Justiça Estadual, 4.213 destes de competência delegada, dois deles de atenção especial e auxilio emergencial, e 490 processos cujas partes são deficientes e 60 relativos a pessoas idosas.

Já o diretor judiciário, Wallson Brito da Silva, explicou, entre outros pontos, sobre a automação de localização dos processos que deverão ser impulsionados via Sistema Eproc.

Contatos

Os servidores poderão tirar dúvidas e dar sugestões pelos telefones 3218.4376 e pelo email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., ambos da Coges, e ainda pelo telefone da Diretoria Judiciária – 3218-4467.

Texto: Marcelo Santos Cardoso

Comunicação TJTO