A corregedora-geral da Justiça, desembargadora Etelvina Maria Sampaio Felipe, nomeou, por meio da Portaria nº 482/2021, a juíza Aline Bailão como coordenadora da Coordenadoria de Cidadania, órgão da estrutura da Corregedoria Geral da Justiça do Tocantins. Mesmo com a nova função, a magistrada continuará atuando na Comarca de Novo Acordo, da qual é titular.

"Recebo com imensa alegria a nomeação para atuar junto à Coordenadoria da Cidadania e agradeço a confiança da corregedora-geral, desembargadora Etelvina Sampaio”, afirmou a juíza Aline Bailão Iglesias após nomeação, no último dia 1º, como a nova coordenadora da Coordenadoria de Cidadania, órgão que funciona dentro da estrutura da Corregedoria-Geral da Justiça. 

“Entendo que o Poder Judiciário deve estar envolvido com projetos voltados à comunidade e que promovam a solução consensual de conflitos, a facilitação do acesso à Justiça e o incentivo à cidadania”, ressaltou a magistrada. “Como coordenadora da Cidadania, poderei expandir essa atividade que realizo com tanta satisfação, mantendo contato com todos os colegas magistrados, além de órgãos públicos e segmentos da sociedade civil, com o fim de levar cidadania a todas as comarcas do Estado", arrematou Aline Bailão.

Ações cidadãs

A Coordenadoria da Cidadania, atualmente com estrutura organizacional na Corregedoria Geral da Justiça do Estado do Tocantins, como órgão permanente, foi criada pelo Provimento nº 03/2017/CGJUS/TO, integrado às ações de cidadania, alinhadas à Recomendação nº 26, de 16/12/2009, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que atribui aos tribunais a incumbência de instalação de Casas de Justiça e Cidadania, visando ao desenvolvimento de ações destinadas à efetiva participação da comunidade na solução de seus problemas, aproximando-a do Poder Judiciário.

Dentre as ações acompanhadas pela Coordenadoria da Cidadania, já implantadas ou em desenvolvimento pelo Poder Judiciário do Estado do Tocantins, figuram os programas denominados “Meu Pai Meu Presente”; “Corregedoria Inclusiva”; “Primeiros Passos”; “Padrinho Nota 10”; “Justiça Terapêutica”; “Constelação Familiar”, entre outros.

Texto: Júlia Fernandes

Comunicação TJTO