O foco no cidadão é prioridade no Judiciário, independente de onde ele estiver. É por isso que a caravana da Justiça superou a distância para levar serviços de cidadania aos moradores da Comunidade Quilombola Mumbuca, povoado com 250 habitantes, localizado no município de Mateiros. No último evento da caravana do Projeto Justiça Cidadã Especial em Mateiros, na tarde desta terça-feira (19/11), participaram da programação, professores, alunos e membros da comunidade.

Logo no início, os moradores receberam a equipe da caravana com uma mensagem de gratidão e uma homenagem em forma de música cantada à capela para os visitantes. “Essa é a primeira vez que o Judiciário vem à nossa comunidade. Nós agradecemos a disposição de vocês em compartilhar conhecimento com a gente”, declarou a líder do Mumbuca, Noeme Ribeiro da Silva, conhecida no povoado como “doutora”.

Em seguida, foram realizadas palestras sobre Educação Digital, com a delegada da Polícia Civil Milena Lima, e do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), com a 3° sargento Elisandra Argenton de Britto, coordenadora do programa da Polícia Militar. A coordenadora Estadual do Proerd, coronel da PM Alaídes Machado, também levou uma mensagem motivacional aos participantes.

A professora Marcia Francisco da Silva Gomes elogiou a ação e enfatizou a importância do debate para a comunidade, que já possui internet e muitas pessoas utilizam redes sociais e muitos jovens saem para estudar. “Foi maravilhoso vocês terem vindo aqui trazer esse conhecimento para a nossa comunidade. Às vezes os mais velhos falam, mas é bom ter alguém de fora para explicar. O que vocês fizeram aqui hoje foi muito significativo para nós e vai ficar marcado na história do nosso povo”, afirmou.

Concurso de Redação

Os alunos da Escola Estadual Silvério Ribeiro Matos, localizada no povoado, participaram de concurso de redação com o tema “Justiça Cidadã”. A unidade existe há 10 anos e conta com 84 alunos, de seis a 17 anos. E o destaque do concurso foi Rayfran Alves França, de 14 anos, aluno do 9º ano, que falou da emoção ao participar da disputa. “Eu fiquei super empolgado com o concurso, porque eu amo escrever. Então eu procurei me informar sobre o tema com minha professora e fiz pesquisas também. Para mim, Justiça Cidadã é, principalmente, o respeito que as pessoas devem ter umas com as outras”, afirmou.

Ele também falou sobre como foi receber o Judiciário, promotor da Justiça Cidadã, em sua comunidade. “Foi incrível vocês terem vindo aqui. As palestras foram muito proveitosas. Achei o máximo.”

Texto: Jéssica Iane / Fotos: Rondinelli Ribeiro e Ednan Cavalcanti

Comunicação TJTO