O Núcleo de Gestão Socioambiental (Nuges) do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO) realizou, nesta quinta-feira (5/9), na Escola Superior da Magistratura Tocantinense (Esmat), reunião com os representantes das unidades administrativas do Judiciário tocantinense para apresentar a Portaria de Regulação e o Sistema de Informação e Gestão Socioambiental (Siga).

A ferramenta foi desenvolvida pela Diretoria de Tecnologia da Informação a pedido do Nuges para gerir os indicadores do Plano de Logística Socioambiental (PLS), como parte do programa TO Sustentável, gerido pelo juiz Pedro Nelson de Miranda Coutinho.

A ação atende a resolução 201/2015 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que prevê os indicadores mínimos que devem ser observados pelos tribunais com o objetivo de promover práticas sustentáveis e consumo consciente. O TJTO já fornece esses dados para CNJ, e o Siga foi criado para facilitar os processo.

Como vai funcionar 

Todas as diretorias do TJ devem lançar no sistema os gastos mensais com papel, copos descartáveis, água mineral, impressão, telefonia, energia elétrica, água e esgoto, gestão de resíduos, reformas, limpeza, vigilância, veículos, combustível, qualidade de vida e capacitação socioambiental.

“Os servidores cadastrados devem enviar essas informações até o dia 12 de cada mês e os diretores devem validar os dados até o dia 15. A Coordenadoria de Gestão Estratégica, Estatística e Projetos (Coges) irá reunir esses dados, fazer análise crítica, informar o CNJ e subsidiar a comissão do Nuges com relatórios para que façam as metas de redução de gastos”, explica a assessora técnica de Estatística da Coges, Darlane Tacho.

O Siga já está disponível na intranet. Além do lançamento de informações mensais, as diretorias devem lançar os dados a partir de janeiro deste ano.

 

Texto: Jéssica Iane / Foto: Ednan Cavalcanti

Comunicação TJTO