Com 53 audiências realizadas, a Vara Criminal de Araguatins encerrou, nesta sexta-feira (15/3), a Semana Justiça Pela Paz em Casa com coffee break e palestra sobre a Lei Maria da Penha para as vítimas de violência doméstica, ministrada pela coordenadora estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, juíza Nely Alves da Cruz, reafirmando a necessidade das vítimas denunciarem as agressões.

“Durante a palestra, falei sobre a história da Maria da Penha, que motivou a criação da Lei 11.340/2006; da importância das vítimas denunciarem as agressões, mesmo que sejam só verbais, que é o início da violência doméstica; contei alguns casos que ocorreram em Araguatins e que resultaram em feminicídio; e divulguei o Disque 180”, relata a magistrada.

A temática também foi abordada pelo capitão da Polícia Militar Sandro de Lima Silva, multiplicador da Patrulha Maria da Penha, e pela psicóloga Michelle de Almeida Maia, representante do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) de Araguatins. Ao final, foi acordado que a Vara Criminal encaminhará à PM e ao Creas, mensalmente, a relação de vítimas de violência doméstica sob medida protetiva para serem visitadas por uma equipe formada por representantes das três instituições.

Ainda dentro da programação, Gabriele, de oito anos, aluna da Escola Arte de Crescer de Araguatins, recitou o poema “A Lei Maria da Penha em Cordel”, de Tião Simpatia.

Audiências

De acordo com a Vara Criminal de Araguatins, das 53 audiências realizadas, duas vítimas decidiram manter a representação contra seus agressores. As demais pediram o arquivamento dos autos, alegando que perdoaram seus agressores, reconstruíram as relações e não desejam vê-los processados criminalmente.

Texto: Jéssica Iane

Comunicação TJTO