O Judiciário tocantinense segue investindo na excelência da prestação jurisdicional. Na tarde dessa terça-feira (11/10), a auditora líder do Instituto Falcão Bauer, Arlete Martini, ao encerrar auditoria externa, informou que vai recomendar a certificação do Sistema de Gestão da Qualidade implantado na Secretaria do Tribunal Pleno.

O encerramento dos trabalhos da auditoria externa foi acompanhado pelo presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Ronaldo Eurípedes, que junto aos servidores, falou sobre a modernização do Judiciário tocantinense. “O processo eletrônico é um divisor de águas, e a implantação do ISO 9001 nos nossos setores também significa um grande avanço, onde o objetivo maior é oferecer um serviço eficiente, seguro e de qualidade aos cidadãos”.

A auditora Arlete Martini disse não ter encontrado nenhum desvio à norma, nem aos procedimentos estabelecidos pelo TJ e ressaltou as impressões adquiridas ao final dos trabalhos. “Na Secretaria do Pleno e em outros setores do Judiciário tocantinense, tenho observado que o trabalho já está muito bem estruturado e evoluindo constantemente. Estou feliz em ter visto tudo de bom que está sendo feito”, afirmou.

Segundo o coordenador de Gestão Estratégica do Tribunal de Justiça, José Paiva, a ideia é replicar o modelo de qualidade da gestão para as demais unidades do Poder Judiciário. “Com a certificação, nós plantamos uma semente que renderá bons frutos no sentido de melhorar sempre os serviços prestados e gerar benefícios maiores à sociedade”, ressaltou.

 

Certificação ISO 9001

O ISO 9001 é um certificado internacional que estabelece um conjunto de princípios administrativos como foco na satisfação do consumidor, motivação e envolvimento do corpo administrativo e contínuo aprimoramento dos serviços prestados.

É o selo de qualidade mais solicitado por companhias de diversos ramos em todo o mundo, contando atualmente com mais de 1 milhão de empresas certificadas. Para obter a certificação da ISO é preciso cumprir requisitos para que as várias fases sejam concluídas de forma adequada.

A Escola Superior da Magistratura Tocantinense (Esmat) e a 2ª Vara Cível da Comarca de Palmas já possuem a certificação.

Maria Gabriela – Cecom/TJTO 

Foto: Rondinelli Ribeiro - Cecom/TJTO

ONDE ESTOU