A gestão estratégica no âmbito do Poder Judiciário foi oficializada com a publicação da Resolução n.º 49, de 18 de Dezembro de 2007, que impunha aos órgãos do Poder Judiciário a criação de Núcleo de Estatística e Gestão Estratégica, com o propósito de organizar as estruturas administrativas para elaboração de estatística e do plano de gestão estratégica dos tribunais.

No Tocantins, o marco legal se deu com a criação da Coordenadoria de Gestão Estratégica - COGES, por meio da Resolução nº 17, de 23 de setembro de 2009. Em 2015, por meio da Resolução nº 10, de 23 de abril, a COGES foi reestruturada e colocada sob a subordinação da Presidência, em atendimento à determinação do Conselho Nacional de Justiça - CNJ (art. 2° da Resolução n° 49, de 18 de dezembro de 2007).

A estrutura da COGES está fundada em três pilares, conforme a seguir:

A gestão estratégica que tem a função de promover o alinhamento entre as diversas áreas da organização, servindo como linha orientadora à integração dos esforços desenvolvidos pelas várias unidades, buscando uma visão temporal mais favorável para o cumprimento de suas atribuições. É um processo que envolve três atividades principais: análise estratégica, formulação da estratégia e implementação da estratégia.

A Assessoria de Planejamento, Projetos e Convênios é a unidade responsável por prestar a consultoria técnica às unidades, para que a atividade de planejamento e a gestão de projetos, seja realizada com a aplicação das metodologias adequadas, sob o trinômio da eficiência, eficácia e efetividade dos resultados.

A gestão da qualidade tem a função de promover a cultura da qualidade em todas as áreas ou unidades da organização, na busca de um processo organizacional de melhoria contínua.

A Assessoria de Gestão da Qualidade é a unidade responsável por prestar a consultoria técnica às unidades para a promoção de melhorias nos processos internos, diminuindo retrabalho e desperdício, além de aumentar a qualidade dos serviços prestados, deixando os clientes/usuários mais satisfeitos.

A gestão da informação representa um avanço em relação à simples produção, coleta e registro de dados estatísticos sobre indicadores, metas e movimentação processual, mas fundamentalmente estabelece uma ponte entre a gestão estratégica e a aplicação das tecnologias de informação.

A Assessoria de Gestão da Informação é a unidade responsável por prestar a consultoria técnica às unidades para a geração de informação útil e em tempo real para subsidiar a tomada de decisão da alta administração na definição dos objetivos e elaboração de políticas gerais do Poder Judiciário.

ONDE ESTOU